Fadefe: recursos viabilizam projeto de produção de sementes no Assentamento Itamarati

Convênio assinado na sexta-feira (2) entre o governo do Estado e a Prefeitura de Ponta Porã no valor de R$ 1,1 milhão viabiliza projeto de produção de sementes convencionais em desenvolvimento no Assentamento Itamarati. Os recursos são oriundos do Fadefe (Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Econômico e de Equilíbrio Fiscal do Estado), gerenciado pela Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), que tem por finalidade o apoio a iniciativas que promovam a geração de emprego e renda e melhorem as condições de vida das pessoas.

 

Os recursos foram repassados à Prefeitura de Ponta Porã, que vai licitar a compra do maquinário necessário para a secagem, classificação e embalagem das sementes, e entregar à Cooperativa Agroindustrial do Assentamento Itamarati (Copaceres). A vigência do convênio é até março do próximo ano, quando todos os equipamentos já devem ter sido adquiridos e feita a devida prestação de contas da verba recebida.

 

O presidente da Cooperativa, Ronaldo Pucci, conta que o assentamento já produz sementes de milho, feijão e soja convencional (não transgênico), porém em pequena quantidade devido à falta de máquinas para fazer a secagem, classificação e embalagem. “Temos equipamentos rústicos, agora vamos adquirir mais modernos”, salientou.

 

O convênio vai possibilitar a expansão do projeto que passará a atender 120 assentados e produzir 300 toneladas de sementes de milho, 150 toneladas de sementes de feijão e 50 toneladas de sementes de soja convencional. “Será um reforço substancial na renda dessas famílias. Essa tem sido uma preocupação constante do governo do Estado, que direciona os recursos do Fadefe e de outras fontes para apoiar projetos que beneficiam a Agricultura Familiar”, disse o secretário Jaime Verruck, da Semagro.

 

Nessa perspectiva o secretário citou a entrega de patrulhas mecanizadas (mais de mil equipamentos para todos os municípios), a construção de 10 centrais de comercialização dos produtos da Agricultura Familiar e o apoio que a Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), órgão vinculado à Semagro, tem dado aos pequenos agricultores com assistência técnica e todo assessoramento necessário.

Destaques